Previdência privada x INSS: Qual vale mais a pena?

Para aqueles que buscam paz e tranquilidade depois que pararem de trabalhar, saber fazer a decisão certa e sábia sobre como construir sua aposentadoria é um pouco difícil, aliás, é seu futuro financeiro que está em jogo.

Normalmente, quando o assunto, sempre é essa pergunta que surge: qual contribuição vale mais a pena? Neste artigo, vamos te mostrar quais os prós e contras de cada tipo de previdência. Na verdade, é possível optar pelos dois benefícios ao mesmo tempo? Vejamos!

Foto: (reprodução/internet)

Prós e contras do INSS

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é um órgão da Previdência Social responsável pelo pagamento da aposentadoria e diversos benefícios dos trabalhadores, menos dos servidores públicos.

Quando o valor do benefício é debitado da sua conta, vai direto para uma conta da Caixa e quando o empregado se aposenta é possível sacar todos os valores depositados na conta. Só em algumas situações mais emergenciais é possível sacar o benefício da antes.

Como o contribuinte não possui um controle muito grande sobre os recursos do seu INSS, é mais difícil saber quanto sua aposentadoria tá rendendo na conta. Diante disso, é muito importante ficar atento á tributação.

Foto: (reprodução/internet)

VEJA TAMBÉM: Como ir de endividado a investidor

Uma das maiores desvantagens é como dito no tópico anterior: a falta de liberdade em administrar esses recursos. Além de não poder sacar este benefício da previdência social a qualquer hora que o contribuinte quiser, há uma idade mínima e tempo de contribuição para ter direito a ele.

Por mais que seja restrito, é um plano mais seguro para que você consiga se aposentar de forma tranquila. Dependendo da sua profissão, a rentabilidade pode não ser tão alta para a sua renda bruta e para sua previdência social.

Prós e contras da previdência privada

A previdência privada é bem parecida com um investimento, porém, há um objetivo e fim específico. Muitos bancos e instituições financeiras oferecem planos para você trabalhador começar a planejar sua vida financeira e não depender somente da previdência social.

Com ele, basta você ter pelos menos uma conta no banco e idade mínima de 18 anos para começar. Além disso, na previdência privada não há um valor fixo da renda para contribuir como acontece na previdência pública.

Além disso, há 2 tipos de previdência privada como a PGBL e a VGBL.

Uma das vantagens da previdência privada é a liberdade de gerenciar e ter o controle maior da sua conta. Dependendo da renda e da instituição do trabalhador, a rentabilidade pode ser maior. Porém, é importante ficar atento à tributação neste plano de previdência.

Vale a pena optar pelos dois?

Pois é, é possível investir em ambos benefícios ao mesmo tempo para a sua aposentadoria. Um não anula o outro, você consegue continuar a contribuição para o INSS da previdência social e ao mesmo tempo contribuir para a previdência privada.

Caso você seja empregado pela CLT, o benefício do INSS já é descontado diretamente na sua folha de pagamento, então, você automaticamente já está fazendo contribuição para a previdência pública. Entretanto, a previdência privada pode ser uma renda complementar para a sua aposentadoria.

Como dito anteriormente, você pode optar por ambos, então, talvez vale mais a pena contribuir para os dois planos de aposentadoria. É um investimento que você fará a longo prazo para você mesmo, aliás, os rendimentos serão muito bons para você em um período longo de contribuição.

Então, cabe ao trabalhador ver se conseguirá contribuir com os dois (e isso pode variar de acordo com a renda e a situação da vida financeira) e entender quis planos de previdência será a melhor opção para você. O importante é investir na sua vida financeira do futuro.

Artigos Relacionados