Simples, comum e seguro: conheça tudo sobre o Tesouro direto

Investir no Tesouro Direto é atualmente uma das formas mais práticas e seguras de fazer uma determinada quantia de dinheiro render consideravelmente no mercado financeiro, principalmente a longo prazo.

Mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que é esse modelo de investimento e qual a melhor maneira de se aplicar uma quantia nele. Continue lendo para mais informações sobre o Tesouro Direto.

Foto: Reprodução/Internet

O Tesouro Direto é um programa criado em 2002 pelo Governo Federal em parceria com a bolsa de valores brasileira B3 para tornar possível com que pessoas físicas invistam em títulos do governo.

Ao adquirir um título público, é como se a pessoa física “emprestasse” uma soma para o Governo e essa soma será devolvida com juros após um período determinado, e esse valor final contém o rendimento do investidor.

Uma das maiores vantagens de se investir no Tesouro Direto é a praticidade, pois pode-se realizar todo o procedimento de forma online e é possível fazer aplicações a partir de um valor mínimo de R$ 30,00.

Foto: Reprodução/Internet

VEJA TAMBÉM: Entenda a importância da taxa Selic para seus investimentos

É uma aplicação segura e garantida também devido ao rendimento assegurado pelo Tesouro Nacional. Um aspecto importante é sua liquidez diária, que significa que o investimento e seu lucro podem ser resgatados a qualquer momento.

Os títulos oferecidos para compra têm tipos diferentes de rentabilidade, retorno e vencimentos, se mantendo bem flexíveis e rentáveis para diferentes perfis de investidores.

Além da quantia investida inicialmente, é possível realizar aportes mensais para que o investimento mantenha um crescimento regular.

Tipos de títulos

Existem 3 diferentes modalidades de títulos disponíveis para investimento no Tesouro Direto. A melhor opção para cada investidor depende do objetivo individual.

Títulos Prefixados

Com os títulos prefixados há taxa fixa de juros, o investidor fica sabendo exatamente qual será o valor do rendimento já no momento da compra. Então é o melhor título para quem precisa ter certeza desse valor desde o início.

A vantagem é que garante um rendimento fixo, sendo ideal para metas de médio a longo prazo. A desvantagem é que há o risco de a inflação reduzir um pouco os ganhos possíveis.

Tesouro Selic

Também chamado de títulos pós-fixados, esse tipo de investimento acompanha a taxa Selic, que serve como referência para outras taxas de juros do mercado e é usada para calcular rendimentos de poupança.

Esse tipo é um investimento conservador, não tem risco de perda de rentabilidade, então é o mais indicado para compor uma reserva de emergência ou para investidores iniciantes no Tesouro. Indicado também para metas de curto prazo.

Tesouro IPCA

No tesouro IPCA, também chamado de títulos híbridos, uma parte do rendimento é fixa e outra varia acompanhando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, medido mensalmente para identificar a variação de preços de bens e serviços para o consumidor brasileiro.

É o tipo de título ideal para objetivos de longo prazo, como por exemplo um fundo de aposentadoria.

Como investir

Qualquer cidadão que possui uma conta no banco (corrente ou poupança) e um número de CPF pode investir no Tesouro Direto.

No site do Tesouro é possível simular dentre os títulos qual melhor se aplicar às suas metas.

Depois de escolhido o tipo de título, é preciso fazer cadastro através de uma instituição bancária ou pelo site ou aplicativo oficial. Então, basta realizar a transferência e iniciar o investimento.

Artigos Relacionados